Pré Eclâmpsia e Parto Prematuro

Minha experiência no segundo trimestre de gravidez e início de terceiro foi uma época um tanto turbulenta. Depois de meses tentando fazer o controle da pressão em casa, minha obstetra decidiu que era hora de assumirem esse controle na maternidade, então me internaram.

Foram quinze dias de medição da pressão arterial várias vezes ao dia, muitos remédios, exames e ultrassons que diagnosticaram pré eclampsia, um distúrbio da gravidez que acomete cerca de 5% de mulheres, no meu caso aumentando a pressão arterial e causando perda de proteína na urina.

Pelo menos uma vez ao dia escutávamos o coração da bebê no sonar e fazíamos monitoração de movimentos fetais a cada três dias.

O ultrassom de Doppler (exame que verifica o fluxo de sangue que vai da placenta para o bebê) mostrou que o crescimento da bebê estava sendo comprometido então a gravidez teria que ser interrompida e no dia seguinte, sábado pela manhã foi realizada a Cesária.

Liv nasceu com 1,350 kg, e foi imediatamente para o CTI neo natal, eu nem a vi nesse dia. Na incubadora estava aquele serzinho, uma pessoinha miudinha, com sonda, acesso na veia, um auxílio para respiração no narizinho, uma touquinha e venda nos olhos para proteção da luz azul que estava tomando. Pouco do seu rostinho era visível.

Recebi alta hospitalar dois dias depois, e voltar pra casa sem ela foi difícil, mesmo sabendo que estava sendo muito bem cuidada.

Ia ao hospital todos os dias, ignorando a dor da cesárea, passava o dia todo ao lado da incubadora, ordenhava leite materno para que pudesse ser oferecido para ela juntamente com a fórmula, de início conseguia pouco leite, mas a prática feita regularmente foi aumentando a produção. Quando comecei a fazer ‘canguru’ com ela o leite jorrava quando colocavam ela no meu colo, era impressionante a relação. Também procurei ajuda para aumentar um pouco a produção de leite com a Deyse Melo do Blog “A Mamãe Nasceu Assessoria” que ajudou bastante com uma pequena dica.

Com ajuda dos meus amigos conseguimos terminar de montar o quarto dela pois nem isso tinha dado tempo de fazer, faltava chegar alguns moveis comprados pela internet e faltava ainda comprar muita coisa, o chá de fraldas teve de ser desmarcado então algumas fraldas que iriamos ganhar no dia da festa foram entregues antes.

Mas apesar de tantas dificuldades, a Liv permaneceu forte, no mês em que esteve internada não apresentou nenhum problema, só precisava ganhar peso e aprender a mamar, a sonda de alimentação foi retirada e me ensinaram a amamentar, com dicas para ajudar na pega e evitar a fissura nos mamilos, a equipe médica e de enfermagem do Hospital Israel Pinheiro – BH foi essencial para que eu saísse tranquila com ela, fomos pra casa com ela já mamando bem e desde então só tem engordado e crescido.

Ela agora com quase dois meses de nascida ainda não atingiu três quilos, uma bebê pequenina em que todas as roupinhas ficam grandes e folgadas conseguiu encher essa casa com mais amor e carinho.

Qual sua experiência de final de gestação e de parto, tiveram algum problema? Alguma história interessante? Comenta aqui em baixo.

8 Replies to “Pré Eclâmpsia e Parto Prematuro”

  1. Vc e Liv foram duas guerreiras. Que Deus continue abençoando dando bastante saúde pra pequena Liv.

  2. Amiga estou orgulhosa de vc.
    Em breve vou visitar a Liv.
    Bjs.

  3. Graças a Deus deu tudo certo, você e a Liv venceram essa fase!! Deus continue abençoando vocês! #Guerreiras 😘😘

  4. Cunhada cada dia te admiro mais e mais. Amo muito vocês. A pequena Liv, nossa amada e guerreira.

  5. Parabéns pela linda, forte e guerreira Liv, Deus abençoe vcs grandemente!!!

  6. Você foi forte minha irmã! Sabemos tudo pelo que passou; a pressão que não baixava, largar o chá de fraldas que estava marcado para o dia seguinte à sua internação (que não foi planejada), o medo do que pudesse acontecer com a Liv constantemente, os dias e as noites no hospital querendo ir embora logo…um parto totalmente desprogramado, mas que no fim deu tudo certo. O médico caprichou tanto que quase não vai ficar cicatriz 💜
    Tenho certeza de que é uma excelente mãe, com os desafios e defeitos que toda mãe tem, afinal você é humana, não uma heroína. Mas para Liv será uma superMãe!

  7. Gabriela Viana Zucco says: Responder

    Eu tenho uma enorme admiração por vc Miriam, por tudo o que vc passou junto com a Liv e pela sua serenidade ainda assim! Parabéns! Deus continue abençoando e iluminando vc e sua família! Nosso final de gestação foi bem tranquilo graças a Deus. Tivemos consulta de pré natal na quinta de manhã, pegamos as guias para liberar o parto. Cheguei em casa, tinha marcado pra fazer a unha do pé, tive um pequeno escape de líquido. Mas estava tudo normal. Meu coração já sentia que algo iria acontecer. Não sabia se almoça ou não… Almocei e conversei com meu esposo para irmos liberar a internação, pós o parto das meninas estava agendado para o dia 28/03. E fui ao banheiro antes de sairmos… Quando levantei escorreu o líquido, a bolsa tinha estourado… E ao invés de irmos para liberar o internamento… Fomos para o hospital para a chegada das meninas no dia 22/03. Essa é a nossa história 😘

  8. Fernanda Oliveira says: Responder

    Miriam, que história linda!!! Deus abençoe você e a Liv, são duas guerreiras!!!Beijos

Deixe uma resposta