Metabolismo aos 35 anos

Mudanças no nosso corpo já começaram a acontecer desde os 30 anos, e temos que tomar atitudes para minimizar os efeitos do tempo na nossa vida.

O corpo começa a dar os sinais e muitas vezes esses sinais passam despercebidos por causa da correria que é nosso dia a dia, e quando percebemos esses sinais ja começaram a ficar aparentes, uma ou mais linhas de expressão que não estavam lá a última vez que você checou, uma manchinha na pele, percebe que, para ficar a noite toda em uma festa precisa de uma energia que você já não encontra e outras coisinhas que podem acontecer que quando você para pensar, são novidades.

O colágeno que produzimos passa a diminuir pouco a pouco, por isso a nossa pele começa a perder a firmeza e a flacidez começa a atacar partes do corpo, por isso é tão importante consumir alimentos que ajudam na nossa produção de colágeno, como, carnes ovos e peixes, folhas verdes escuras como couve, agrião e espinafre, grãos que incluem feijão, lentilha, grão de bico, soja e alimentos que contem vitamina C, essa vitamina auxilia na síntese de colágeno, então não economizar nas frutas cítricas. E apesar da controvérsia e debates de profissionais da saúde – se funciona ou não funciona – seja em capsulas ou em pó o colágeno hidrolisado tem feito sim diferença em muita gente, eu inclusive tomo um concentrado de colágeno e vitaminas que mandei manipular.

Usar cosméticos com firmadores de pele na composição também auxiliam muito na luta contra a flacidez. Então não podemos ter preguiça na hora do ritual noturno de tratamento da pele.

Uma coisa que me assustou muito é que a partir dos 35 anos o risco de osteoporose aumenta, nosso corpo começa a perder massa óssea e isso acontece por causa da mudança na produção de hormônios, quando temos uma alimentação inadequada ou até por fatores genéticos. Então para compensar isso é necessária uma alimentação que nos reponha cálcio. Leite, iogurte, queijos, espinafre, brócolis, feijão e muitos outros.

Agora, nada de suplementos de cálcio sem a orientação médica, ok?

Agora o vilão das mulheres, o “bendito” metabolismo lento. Começamos a ganhar peso mesmo sem ter uma mudança drástica na alimentação e perder esses quilos extras é cada vez mais difícil – claro que isso varia de pessoa para pessoa – então nosso objetivo nessa fase da vida e pro futuro é nos manter saudáveis, fazendo exercícios regularmente que ajudam inclusive no problema do enfraquecimento ósseo pois fortalece os músculos e ajuda na queima de gordura, tirar da nossa rotina alimentos como doces, salgadinhos e refrigerantes, e incluir na nossa dieta alimentos termogênicos que ajudam a acelerar o metabolismo e diminuir a retenção de líquidos como pimenta, chá de hibisco, gengibre e canela.

Então, a fase é crítica, mas não é motivo de desespero. Nossas atitudes são essenciais para driblarmos os efeitos do tempo.

Sabem mais alguma atitude que podemos tomar para garantir nossa saúde? Compartilha aqui em baixo com a gente. E se inscreva pra receber as novidades no seu e-mail quando tiver posts novos.

 

One Reply to “Metabolismo aos 35 anos”

  1. Uma boa dica para “acordar o metabolismo” é exercício físico sem dúvida. Tomar regularmente chá verde e um suco de limão puro espremido na água pela manhã em jejum. Funciona comigo!
    Eu comecei a sentir uma flacidez no rosto depois dos 30 anos. Comecei a tomar cápsulas colágeno e hoje uso produtos anti -idade que mudaram totalmente o aspecto da pele!
    Quero voltar a usar vitamina C. Eu uso atualmente o Redermic r da La Roche Posay e na área dos olhos o Physiolift Yeux da Avène.

Deixe uma resposta